sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

PROTESTOS NO BRASIL DURANTE A COPA DO MUNDO!



As manifestações tinham uma lista de reivindicações diversas, como melhoras nos péssimos serviços de transporte, saúde e educação de um país que destina fortunas para a construção de estádios e ainda sofre com a corrupção e a violência.

Depois e alcançar o clímax na Copa das Confederações em junho, os protestos perderam intensidade devido ao fim do torneio e as promessas da presidente Dilma de investir em mobilidade urbana, melhorar a cobertura médica e impulsionar uma reforma política, entre outras medidas.
A presidente conseguiu recuperar boa parte de sua popularidade que havia sido perdida em junho. Segundo pesquisas, ela tem mais apoio que qualquer um de seus rivais na corrida eleitoral de 2014.
Mas muito brasileiros (me incluo nestes muitos) continuam irritados com os gastos do Mundial, que apenas em estádios já superam US$ 3,4 bilhões segundo dados oficiais – quantia muito mais alta que a previsão inicial.

Muitos políticos, inclusive a presidente, estão à flor da pele sobre a questão das manifestações que possivelmente ocorrerá durante a copa mundial, pois eles sabem que isso não prejudicará apenas a visão do mundo sobre o país, mas também, assim como em junho do ano passado quando ocorreram às manifestações a popularidade da presidente caiu bastante possivelmente poderá ocorrer também durante a copa que é muito próximo das eleições presidencial.

Não é possível um país com tantos problemas sociais abarcar uma copa mundial e querer apagar os inúmeros problemas que ocorrem diariamente para se mostrar bem na foto. O nosso país é rico, mas as riquezas devem ser para o nosso próprio investimento, em saúde, educação e segurança. O Brasil quer lembrar aos políticos que vão está de camarote durante a copa que existe um país que não está olhos vendados, pelo contrário, está de olhos abertos, não para a copa, mas para os problemas sociais do Brasil.

Fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/12/131208_seguranca_copa_gl.shtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário